Epopeia

EPOPEIA

A Corda

Falar de epopeia é falar de uma narrativa de valorização de heróis e dos seus feitos. Falar de heróis e dos seus feitos é falar de coragem. Falar de coragem é falar de firmeza de espírito e energia diante do perigo, de perseverança, sem género implicado. “A” epopeia e “a” coragem são femininas, mas são, geralmente, e quase exclusivamente, associadas ao género masculino. Então, falar da coragem que caracteriza os atos heroicos não é somente falar de homens, não será impertinente pensar o porquê da História não nos apresentar muitas mulheres tidas como heroínas, ao contrário do que acontece com os homens.

EPOPEIA dá voz às histórias de quatro mulheres da História de Portugal vividas no século XVI e no século XVIII e esquecidas pela própria História – Joana de Áustria, Públia Hortênsia de Castro, Antónia Rodrigues e Maria Sequeira -, partindo de textos biográficos e de diferentes autores e pensadores. Foram heroínas não só pelo facto de algumas delas terem tido a coragem de lutar fisicamente pela pátria, mas porque todas tiveram a coragem e o engenho de levar as suas ambições avante pela quebra dos cânones machistas, abdicando, por algum tempo, da sua feminilidade. Foram mulheres que ultrapassaram o “penis envy” de Elektra, abraçando o género masculino para abraçarem a liberdade que almejavam.

O que queriam verdadeiramente estas mulheres? O que querem as mulheres dos dias de hoje? Este espetáculo procura estabelecer um diálogo entre cinco intérpretes ao longo de cinco partes definidoras do modo épico, diálogo este não biográfico, mas sim a partir de uma reflexão a respeito da posição da mulher ao longo dos tempos. EPOPEIA procura, assim, dar corpo a uma representação do grito silencioso e ativo de mulheres que procuraram a sua identidade dentro dos limites de uma sociedade repressiva, como uma voz que percorre o tempo para se dirigir à contemporaneidade.

Encenação e Espaço Cénico RUBEN SAINTS 
Dramaturgia e assistência à encenação ELSA MAURÍCIO CHILDS 
Interpretação DIOGO BACH, INÊS SOBREDA, LEA MANAGIL, RITA CAROLINA SILVA, SARA AFONSO e ELEMENTOS DA COMUNIDADE LOCAL
Sonorização e música original LEA MANAGIL
Desenho de luz RUBEN SAINTS
Figurinos ATELIER CARMINHO
Produção A CORDA

A CORDA
Associação cultural que nasce da união de pessoas de percursos diversificados que sentiram a vontade de materializar ideias e ideais comuns entre si e que tem como prioridade trabalhar para e com a comunidade, por acreditar que essa é a verdadeira vocação da arte. Apresenta-se como uma plataforma de criação artística multidisciplinar centrada no Teatro, na Música e na Literatura, assim como na exploração de diferentes linguagens cénicas. Na Malaposta apresentaram em 2019 os espetáculos para o público infantil “Babar” e “Fala-Bicho”, e ainda duas curtas de teatro, no âmbito do mês das curtas, em 2019.

TEATRO - COMUNIDADE

OUT 01 a 11

QUI a SÁB – 21H30
DOM – 16H30

AUDITÓRIO

8€ | DESCONTOS APLICÁVEIS

45 MINUTOS

M/12

PARTILHAR