Como assim?

COMO ASSIM?

Companhia Cepa Torta

Foi de repente. Estava sentado na minha cadeira, a olhar pela janela quando, de súbito, um grande FURACÃO. Não tive tempo de dizer nada e, quando me levantei, disseram-me que já podia estar com todos, mesmo a sério. Estar mesmo estar. Mesmo a sério. Que não me preocupasse, que agora voltaria tudo ao normal… Mas qual normal? Como assim? Lá fora, o que há? Dei passos curtos, hesitantes e pisei a rua. A luz feria-me os olhos, e estranhos sons dançavam nos meus ouvidos, vindos de toda a parte. Imagens difusas, sombra, luz, cores. E de súbito alguém. Alguém sim, uma pessoa, um corpo, um cheiro, um olhar, um sorriso. E o meu sorriso de encontro àquele, uma mão a tocar na outra, os nossos sopros na cara do outro, o som das nossas palavras e do nosso riso… Espera lá, eu já não me lembro de nada disto. O espetáculo parte da ideia de perda do essencial na construção da nossa identidade: o afeto e a proximidade do outro. Em cena, as personagens farão uma viagem mais interior que exterior, terão a sensação de ser duplas, triplas, de ser muitas ao mesmo tempo, num esforço permanente de perceber como se relaciona com os outros, de pertencer, de fazer parte. Esta proposta, que surge no rescaldo de uma pandemia que nos afastou do contacto com os outros, é uma reflexão artística sobre como o crescimento e procura da identidade é profundamente marcado pela forma de TOCAR O OUTRO E DO OUTRO NOS TOCAR A NÓS.

Conceção e Encenação MIGUEL MAIA E SOFIA CABRITA
Interpretação MAVA JOSÉ E CLÁUDIA ANDRADE
Cenografia e Figurinos SARA FRANQUEIRA
Produção LARA MATOS
Fotografia de Cena SÓNIA GODINHO

A Companhia Cepa Torta é uma plataforma artística que trabalha na área do teatro e performance desde 1999 e constituiu-se legalmente como associação sem fins lucrativos em 2004. A Companhia conta com uma equipa artística multifacetada e, nos seus quase 20 anos de existência, realizou trabalhos no Teatro na Malaposta, Teatro Ibérico, Teatro Taborda, Biblioteca de Marvila, Teatro da Comuna, entre outros espaços em Lisboa e no um pouco por todo o país, mas também fora de portas como por exemplo no Bridewell Theatre em Londres. O seu trabalho tem assentado em produções originais com base em textos clássicos de Brecht, Gil Vicente, Raul Brandão, Eurípedes, Tchékhov, Durënmatt e poetas portugueses. No seu portfólio conta ainda com projetos com base em textos originais, bem como um conjunto vasto de espetáculos e iniciativas pedagógicas dirigidas ao público infantil e juvenil.

©Imagem de capa CLÁUDIA CABRITA

TEATRO | EM FAMÍLIA | COM A ESCOLA

2O21 | DEZ O4 a 19

TER e QUA – 1OH3O e 14H3O
SÁB – 16HOO
DOM – 11HOO

SALA EXPERIMENTAL


8€
[ADULTO] | 6€ [CRIANÇA E ESCOLAS] | DESCONTOS APLICÁVEIS 

5O MINUTOS

M/6

PARTILHAR