A SECRET ABOUT A SECRET Residência

A SECRET ABOUT
A SECRET

HIPÉRION Projeto Teatral 

Este espetáculo parte do conceito da fotógrafa americana Diane Arbus que afirma ser uma fotografia um segredo sobre um segredo – quanto mais uma fotografia nos diz, menos ficamos a saber.

Esta é então a premissa para um objeto cénico que faz uso de fotografias de Tânia Cadima projetadas em tela. Entretanto, e através de textos de Mário Trigo, os atores apropriam-se de uma escrita contemplativa, com forte recurso a pulsões inconscientes, sendo por vezes automatizada, acercando-se ou afastando-se do sentido figurativo das imagens expostas.

São evocados contextos em que os intérpretes e o próprio público, num exercício comum de reflexão livre, extensiva, lúdica, partilham temáticas como a antiguidade grega, o amor que sempre envolve gerações, dúvidas e enigmas da cosmogonia, o desassossego da guerra, ou as decisões políticas que atualmente nos fazem a vida.

Tudo isto para chegarmos a questões e segredos não respondidos – apenas conversados.

Fotografias TÂNIA CADIMA
Textos MÁRIO TRIGO
Encenação e Dramaturgia MÁRIO TRIGO com JAIME ROCHA
Interpretação CATARINA RODRIGUES E MIGUEL COUTINHO
Consultoria do Espaço Cénico e Figurinos NISA ELIZIÁRIO
Música CARLOS SANTOS
Desenho de Luz MÁRIO TRIGO
Fotografia de Cena TÂNIA CADIMA
Gestão de Apoios JOANA FERREIRA
Produção HIPÉRION PROJETO TEATRAL
Apoio à Residência CENTRO CULTURAL DA MALAPOSTA / MINUTOS REDONDOS / CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS

TÂNIA CADIMA vive e trabalha em Lisboa. Licenciada em Design de Comunicação pela Universidade de Aveiro (2OO2). Vencedora do 1º prémio Novos Talentos Fnac Fotografia, com o trabalho “Brejo” (2O13). Frequenta Cursos de Fotografia no Atelier de Lisboa desde 2O13, de onde nasceram “Clepsidra”, “Berenice”, “Odds and Ends” e “Hide-and-Seek”, trabalhos que participaram em várias exposições coletivas. Apresentou “Berenice” numa exposição individual no m|i|mo, Museu da Imagem em Movimento, em Leiria (2O17). Apresentou “Hide-and-Seek” numa exposição coletiva inserida no Imago Lisboa Photo Festival (2O21). O livro “Hide-and-Seek” foi selecionado pelos Encontros da Imagem de Braga (2O22). Atualmente é designer e fotógrafa residente da companhia HIPÉRION – Projeto Teatral, onde assinou espetáculos como “Hipérion” de F. Hölderlin (2O19); “Uma fina camada de gelo”, de George Orwell (2O2O); “Filoctetes”, de Heiner Müller (2O22) e “Os Adormecidos”, de Walt Whitman (2O23), com encenações de Mário Trigo.

MÁRIO TRIGO recebeu formação teatral com os Paines Plough – Seminário para Encenadores e Escritores, dirigido por John Tiffany e Enda Walsh. Teve formação com Gennadi Bogdanov, Eimuntas Nekrosius, Luís Lima Barreto, entre outros. Em 1998 fundou a companhia Associação Teatro Focus, onde encenou autores como F. Céline, Boris Vian, Oscar Wilde, Sófocles, Jean Genet, Isabel Freire, Fernando Sousa, Gil Vicente, Molière, entre outros. Enquanto ator tem exercido uma colaboração com encenadores portugueses, dos quais destaca Ávila Costa, João Meireles, Pompeu José, Pedro Carmo, Pedro Alves, Francisco Campos, Rui Guilherme Lopes, Rui Mário e Paulo Campos dos Reis. Com o teatromosca encenou “Retratinho de Guerra Junqueiro”, “Retratinho de D. Carlos”, “Dor Fantasma”, e em 2O13 assumiu a direção artística do projeto GOETHE, onde dirigiu “A Paixão do Jovem Werther”, em cena na Casa de Teatro de Sintra. Lecionou a disciplina “Interpretação III” na In Impetus – Escola de Actores, onde encenou “Preciosas Ridículas” e “O Avarento”, textos de Molière; “AGAMÉMNON paisagem Oresteia”, de Ésquilo. Com a Musgo – Produção Cultural, integrou como ator o espetáculo “Ou Quixote”, e encenou os espetáculos “Ulisses”, “14-18” e “do outro lado, o Muro”. Com a ÁGUA P’LA TESTA Companhia de Teatro encenou o espetáculo “Hipérion” de Hölderlin, em cena no Centro Cultural da Malaposta, 2O19. Em 2O2O cofundou a HIPÉRION Projeto Teatral onde encenou o espetáculo “Uma fina camada de gelo” com textos de George Orwell, em cena no Centro Cultural da Malaposta. Em 2O21 encenou o espetáculo “Filoctetes” de Heiner Müller, com produção da HIPÉRION Projeto Teatral, em cena no Teatro da Malaposta, Casa de Teatro de Sintra, AMAS – Auditório Municipal António Silva (Cacém) e a Bruxa Teatro, em Évora.

JAIME ROCHA é poeta, dramaturgo e romancista editado pela Relógio D’Água Editores. É cofundador do coletivo HIPÉRION Projeto Teatral. Frequentou a Faculdade de Letras de Lisboa, viveu em França nos últimos anos da Ditadura, publicou o seu primeiro livro em 197O. Os seus textos foram levados à cena por encenadores como João Brites, Carlos Avilez, João Lourenço, Pompeu José, Celso Cleto, Jorge Fraga, Paulo Campos dos Reis, Mário Trigo, entre outros. Foi premiado pelo Grande Prémio APE de Teatro – 1998 com a peça “O Terceiro Andar”; pelo Grande Prémio de Teatro Português SPA/Novo Grupo – 2OO4, com a peça “Homem Branco Homem Negro”. A peça “O Construtor” foi selecionada para o Prémio Europeu de Teatro, em Berlim, em 1994, e traduzida para alemão, espanhol, inglês, francês e holandês. Assinou a Dramaturgia dos espetáculos “Hipérion” de F. Hölderlin, “Uma fina camada de gelo” a partir de textos de George Orwell e “Filoctetes” de Heiner Müller, com encenações de Mário Trigo, em cena no Centro Cultural da Malaposta em 2O19, 2O2O e 2O21.

CATARINA RODRIGUES é cantora (meio-soprano) e atriz. Concluiu em 2O12 o curso de Canto na Escola de Música do Conservatório Nacional e em 2O13 a Pós-Graduação em Estudos Vocais no Royal Conservatoire of Scotland. Como solista, trabalha em ópera, recital e animação de época. Colaborou com o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, o Scottish Opera Chorus e com diversos ensembles vocais de câmara. No âmbito do Teatro, colaborou como atriz/cantora com a Água p’la Testa e a MUSGO e como atriz/cantora/assistente de encenação com The Lisbon Players. No âmbito do teatro-dança colabora regularmente com a Madrasta Dance. Aprofunda a ligação entre canto, teatro e dança, procurando a interdisciplinaridade e explorando áreas como a Commedia dell’Arte e o Teatro Físico.

MIGUEL COUTINHO nasceu em Aveiro, em 198O. Foi já depois de uma licenciatura em Educação, pela ESE Viana do Castelo, que a frequência de uma oficina de teatro dirigida por Teresa Grancho durante um ano, o leva a mudar-se para Lisboa, à procura de mais formação e experiência como ator. Termina com sucesso os 3 anos de formação do Curso de Formação de Atores da InImpetus, já depois de se estrear profissionalmente no Teatroesfera, “-desgraçador”, em 2O15. No último ano apresentou-se em diversos teatros em Portugal, como o Teatro da Comuna, em Lisboa, ou a Bruxa Teatro, em Évora, com o espetáculo “Preciosas Ridículas” de Molière, ou o Centro Cultural Malaposta, com o espetáculo “Hipérion” de Friedrich Hölderlin. Tem também trabalhado em cinema, tendo participado em diversas curtas-metragens, e duas longas-metragens, um filme alemão intitulado “The connections”, que estreou em 2O21, e “Uma Cidade Entre Nós”, filme que venceu a categoria de Melhor Filme Estrangeiro em Kansas City, e que lhe valeu o prémio de melhor ator secundário, pelo Cineuphoria em 2O16. Aliando a sua experiência enquanto ator à sua formação pedagógica, faz parte do corpo docente da InImpetus – Escola de Atores desde 2O16. Foi ator no espetáculo “Uma fina camada de gelo” com textos de George Orwell e “Filoctetes” de Heiner Müller, encenações de Mário Trigo, em cena no Centro Cultural Malaposta, 2O2O e 2O21.

NISA ELIZIÁRIO licenciou-se pela FLUL em Artes do Espetáculo (2O17), tendo concluído o curso com estágio realizado na Cooperativa de Produção Artística Teatro Animação O Bando, onde trabalhou na área de produção, de confeção de adereços de cena e de contrarregra no projeto “Adoecer” (2O17). Mais recentemente, para o mesmo Teatro O Bando, fez a produção da itinerância do projeto “Purgatório – A Divina Comédia” em Coimbra, no Convento São Francisco (2O19), fez assistência de direção de cena no espetáculo “Antes do Mar” (2O2O) e nas performances “Um pouco mais à frente” inseridas no Festival TODOS (2O2O) e trabalhou como assistente de produção e como atriz no espetáculo “Paraíso – A Divina Comédia” (2O21-2O22), com estreia no Teatro Nacional D. Maria II. Desde 2O18 até 2O21 trabalhou como atriz na RUGAS – Associação Cultural, onde também executou funções na área de cenografia e produção. É cofundadora da HIPÉRION Projeto Teatral onde assinou a cenografia do espetáculo “Uma fina camada de gelo” com textos de George Orwell e encenação de Mário Trigo, em cena no Centro Cultural da Malaposta (2O2O) e a cenografia do espetáculo “Filoctetes” de Heiner Müller e encenação de Mário Trigo, com estreia no Centro Cultural da Malaposta (2O21-2O22). Fez o curso de Formação de Actores na Escola In Impetus (2O17-2O2O) e o curso de Gestão e Produção das Artes do Espectáculo no Fórum Dança (2O21). Desde 2O2O é atriz no laboratório de pesquisa teatral O Canto do Bode e na companhia Teatro do Zero.

HIPÉRION Projeto Teatral Aristóteles define o ser humano como um agente político configurado num Estado de Direito. É partindo deste axioma que, na HIPÉRION, nos constituímos enquanto criadores livres. Sendo o teatro um espaço coletivo de discussão, pretendemos, por intermédio de um trabalho dramatúrgico consistente, compartilhar a valia de artistas com referências culturais múltiplas. Diferentes maneiras de olhar expressam alteridades de pensamento que terão tradução direta no modo como artistas e público se relacionam, se contrapõem e se identificam. Numa palavra, visões diferenciadas engrandecem a criação teatral. Consideramos qualquer tipo de violência uma manifestação pequena da humanidade. Parafraseando Lautréamont, há horas nas nossas vidas em que lançamos o olhar às membranas do espaço, porque nos pareceu ouvir lá em cima os apupos de um fantasma. Ele vacila e curva a cabeça, se de uma cabeça se trata: o que de lá ouvimos é a voz da nossa consciência. Abrimos as portas e é no isolamento da noite que procuramos um lugar, qualquer lugar, onde possamos trabalhar, desenhando alguma coisa dentro de cena. É dizer, procuramos uma redenção. Que consolo poderão trazer os dias que correm?


© Fotografia TÂNIA CADIMA

RESIDÊNCIA

2O23 | OUT 11 a NOV 24

LOCAL A DEFINIR

Residência artística não aberta ao público

[TEATRO]

ESTREIA : 3O NOVEMBRO 2O23 | CENTRO CULTURAL DA MALAPOSTA

PARTILHAR