Wall Dialogue Resistance

WALL DIALOGUE RESISTANCE

Sara Marasso & Stefano Risso |IL CANTIERE

Ao mesmo tempo um objeto real e um guia prático desta pesquisa, o muro é um símbolo de fronteira: um limite real e um lugar imaginário que mostra a tensão entre a necessidade de proteção e o desejo de ir além do que é conhecido. Uma dimensão que é tanto física como emocional, revelando o espaço e as distâncias que existem nas relações humanas. 

Um projeto performativo participativo, cujo objetivo é, através de uma linguagem contemporânea, a criação de um conto multidisciplinar sobre uma comunidade e um território, utilizando a linguagem da dança, da música e do vídeo. Uma performance que resulta de uma relação aberta às experiências que todos vivemos nestes últimos anos, destacando a ligação entre a experiência artística, a vida quotidiana, o público e os intérpretes. 

A ideia inicial de um projeto performativo participativo surgiu no verão de 2019: um grupo de estudantes de uma escola de teatro de Faro foi envolvido, primeiro durante a fase de residência, depois durante a apresentação final, através de um momento lúdico. No início de 2020 o projeto foi suspenso, forçando a equipa artística a procurar novos significados e novas formas de trabalho e apresentação. Quando o trabalho começou a ser revisto, o primeiro passo foi reconhecer o papel central do corpo como instrumento de escuta, diálogo e participação, que sempre permaneceu, em contextos remotos ou próximos, o aspeto central do projeto que ainda envolve pessoas, estimulando a imaginação de todos, através de uma pergunta: “O que está para além do muro?”. 

(Como? 1. Através de um pequeno áudio enviado ao público antes ou durante cada residência para recolher vozes, ideias, pensamentos à volta do muro e que, num segundo momento, serão escolhidos e misturados, para fazer parte da banda sonora original da apresentação final; 2. Através de palavras escritas sobre papel, deixadas após a performance para cada espectador num espaço preparado, uma parede livre que é transformada numa instalação, mais uma possibilidade de partilha).  

Em outubro de 2021, em Livorno, pela primeira vez o público foi convidado a uma participação direta no espaço da entrada do teatro, retomando assim o papel central do jogo e o seu poder de envolvimento. O formato inicial permanece agora enriquecido pela muita dificuldade e limitações que estes tempos de pandemia nos trouxeram. Os muros provaram ser o limite necessário para além do qual se pode olhar, após um período de olhar para dentro, para ver o espaço comum que pode emergir em toda a sua presença, necessidade e poética. Talvez uma forma indireta de apoiar a ação e participação num momento, como o que estamos a viver, que requer abordagens criativas e colaborativas. 

Direção Artística SARA MARASSO E STEFANO RISSO / IL CANTIERE CONCEPT
Coreografia e Dança SARA MARASSO
Composição, Música ao Vivo e Vídeo STEFANO RISSO
Voz em Empréstimo MICHELE DI MAURO E OS DIFERENTES PARTICIPANTES EM CADA RESIDÊNCIA
Produção SARDEGNATEATRO, SPAZIO DANZA, IL CANTIERE
Apoios DEVIRCAPA – CENTRO ARTES PERFORMATIVAS DO ALGARVE, TEATRI DI VITA BOLOGNA E AUTUNNODANZA CAGLIARI
Colaboração no contexto do projeto WDR para o Creative Europe SARDEGNA TEATRO COM A COLABORAÇÃO DE ASS. NOAO CUNEO, LES TÊTES DES ARTES MARSEILLE, ASS. NORAY SARAGOZA, ASS. HACERDERA SORIA E BALLETEATRO PORTO

SARA MARASSO é coreógrafa, bailarina e produtora. O seu percurso artístico funde estudos teóricos e práticos para pesquisar uma linguagem contemporânea para a cena da dança numa perspetiva interdisciplinar. Paralelamente aos estudos cinematográficos na Universidade de Turim, está envolvida na cena de dança contemporânea, que aprofundou prosseguindo os seus estudos no Laban Center for Contemporary Dance em Londres e mais tarde em Paris, onde obteve um diploma de pós-graduação no departamento de dança da Universidade de Paris VIII. Desde o início, o seu interesse pela dança nasceu como uma oportunidade privilegiada para explorar o corpo na sua complexidade: a sua formação combina diferentes técnicas de movimento como dança contemporânea, contact, composição em tempo real, B.M.C. (Body-Mind Centering), laban studies, técnica Klein e yoga que tem uma influência importante na sua investigação artística. As suas criações coreográficas foram apresentadas em festivais nacionais e internacionais de artes performativas, tais como o Festival Torinodanza, Interplay, Les Repérages, Tanzmesse Düsseldorf, Charleroi Dance, Festival da Fábrica Porto, FKM Belgrad, Signal e o festival Autunno Danza, bem como noutros importantes projetos internacionais de criação site specific (projeto europeu inter-regional Marchés Communes, Lugar a Dança Lisboa, Italyart – Olimpiadi della Cultura, Teatro a Corte, Corpi Urbani Festival Genova, Festival Havana Vieja, Cuba). O seu trabalho tem ganho um amplo reconhecimento do público e da crítica e tem sido produzido por entidades como o Ministério do Património e Atividades Culturais e o Festival Torinodanza. É membro fundador e presidente da Associação Cultural Il Cantiere fundada em 2000, em Turim. Desde 2014 começa a colaborar com o músico, contrabaixista e compositor Stefano Risso, iniciando uma direção artística partilhada com projetos cada vez mais interdisciplinares que foram apresentados em diferentes festivais de artes performativas e convidados em contextos dedicados à dança, música e artes contemporâneas. Sara tem colaborado com o centro regional de dança Piemonte da Vivo_Lavanderia a Vapore, a Fundação Compagnia di San Paolo, Departamento DAMS da Universidade de Turim, Companhia Instável_Teatro Porto, Les Entrepot, Nice. Desde 2019 mudou-se para Lisboa, continuando a sua atividade entre Itália, Portugal e o estrangeiro. Em 2021 foi selecionada para o “Incubator Retreat” em Las Palmas Gran Canaria pela ENCC European Network for Cultural Centres e pela Artemede para o projeto internacional “Stronger Peripheries’s Meeting in Moita”. O seu trabalho artístico foi apresentado no Festival Dias da Dança/Corpo+Cidades, na Bienal Dança de São Paulo do SESC em 2021, Teatri di Vita em Bolonha, e Autunno Danza, Cagliari em Itália. 

STEFANO RISSO é compositor, produtor e contrabaixista. O seu interesse pelo formato da canção levou-o a uma exploração permanente da música instrumental (jazz, vanguarda) e vocal (rock, folclore e autor). Tem escrito e produzido música para teatro e tem colaborado em projetos musicais pessoais com escritores, artistas de vídeo e bailarinos. Lançou mais de setenta álbuns, em nome individual ou em colaboração (Barber Mouse, TRE, Vocifero, Les Diables Bleus, HellmullerRissoZanoli), com editoras italianas, francesas, alemãs, inglesas, finlandesas, suíças e japonesas, que foram reconhecidas por revistas especializadas de diferentes países. Eclético e curioso, colaborou com músicos e grupos heterogéneos, tais como Stefano Battaglia, Gianni Coscia, Roy Paci, Francesco De Gregori, Lalli e Meg. É amplamente reconhecido pela crítica. Entrevistas e trabalhos extensos sobre os seus projetos pessoais e coletivos foram publicados nas principais revistas especializadas na Europa, sobretudo em Itália, tais como Jazzit e Música Jazz, Jaaz & More (Suíça), JazzThing (Alemanha), Artribune e em páginas online como All About Jazz e Jazz Convention. Desde 2014 é professor de baixo elétrico no Conservatório Bomporti de Trento. Em 2015 lançou o seu primeiro álbum a solo “Tentacoli”, editado pela Solitunes Records. Desde 2018 é o diretor artístico do Festival Solitudes em Turim. Há alguns anos que trabalha, a par da sua atividade musical, na investigação e produção visual e novas tecnologias relacionadas com a imagem, criando todos os materiais de vídeo das últimas produções de Il Cantiere. 

IL CANTIERI é um coletivo artístico independente que opera há muitos anos no campo das artes performativas, colocando-se numa perspetiva que considera a criação contemporânea como um encontro entre diferentes linguagens e práticas de investigação. A atividade centra-se em espetáculos para espaços teatrais e criações site-specific para lugares não convencionais que ligam a investigação coreográfica e sonora ao vídeo, arte contemporânea e diferentes práticas de teatro participativo. É formado pela bailarina e coreógrafa Sara Marasso e pelo contrabaixista, compositor e videomaker Stefano Risso. 

©Fotografia LAURA FARNETI

PERFORMANCE

2O22 | OUT 15 e 16

SÁB – 2OHOO
DOM – 16H3O

BLACK BOX

1O€ | DESCONTOS APLICÁVEIS

4O MIN

A CLASSIFICAR PELA CCE

PARTILHAR