UNE PARTIE DE SOI

UNE PARTIE DE SOI
[MOSTRA OUTRAS PISTAS]

Cie O Último Momento / João Paulo Santos

Une Partie de Soi” é uma travessia vertical que relata a história de uma vida, revelando o indivíduo para além do acrobata. Num círculo e em proximidade, num espaço requintado reduzido ao homem, ao mastro e ao círculo, João Paulo Santos desenvolve uma coreografia densa e potente, feita de ritornelos e de tempos prolongados. Sem nunca tocar no solo, o acrobata testa o mastro chinês e mostra um lado deste raramente visto. Sente-se, deixe-se levar, o corpo conta a história da alma.

“Com os olhos fechados, observo-me, como se estivesse fora do meu corpo. Lá de cima, sinto-me a borbulhar por dentro.” João Paulo Santos.

Neste estado criativo vibrante que caracteriza o seu trabalho, João Paulo Santos conta a história de uma vida dedicada a uma arte que moldou a carne e o lugar no mundo de quem a praticou. Contada a partir de dentro, a história demora-se em detalhes e sinceridade. Ao distanciar-se voluntariamente de sua assinatura corporal habitual, João Paulo explora uma linguagem coreográfica radicalmente diferente, marcada pela lentidão e suspensão, destacando a densidade da matéria do movimento, assim como da relação única que tem com o mastro chinês. Disposto em círculo, o público é convidado para uma cerimónia discreta, cujos gestos, simultaneamente poderosos e humildes, nos falam do tempo vivido e das marcas nele presentes.

Criação e Interpretação JOÃO PAULO SANTOS
Cumplicidade Artística NATHAN ISRAËL
Apoio à Pesquisa e Qualidade do Movimento MARIE-ANNE MICHEL
Apoio à Criação ELSA CAILLAT
Composição Musical TIAGO CERQUEIRA
Desenho Luz ENZO GIORDANA
Produção, Difusão e Administração ANAÏS LONGIÉRAS – ERIC LE POTTIER
Fotografia PHILIPPE LAURENÇON
Produção CIE O ÚLTIMO MOMENTO
Coprodução e Residência TEATRO AVEIRENSE, AVEIRO, PORTUGAL; LE THÉÂTRE DE RUNGIS; LA CASCADE, PNC ARDÈCHE AUVERGNE RHÔNE-ALPES; L’AZIMUT, PNC ÎLE-DE- FRANCE; LE SIRQUE PNC NEXON NOUVELLE-AQUITAINE

Residências ACADÉMIE FRATELLINI, ST-DENIS; CIRCA PNC AUCH GERS OCCITANIE; O ESPAÇO DO TEMPO, MONTEMOR, PORTUGAL; LA GRAINERIE, FABRIQUE DES ARTS DU CIRQUE ET DE L’ITINÉRANCE
Apoio RÉGION OCCITANIE

JOÃO PAULO SANTOS é formado pelo CNAC (Centre National des Arts du Cirque), em 2OO3, tendo fundado em 2OO4, com o músico Guillaume Dutrieux, a companhia O Último Momento, com a qual criou 8 espetáculos. Considerado um dos melhores intérpretes de mastro chinês contemporâneo, em 2OO4 ganhou o “Jeune Talent Cirque” com seu primeiro solo, “Peut-être”. Em 2OO6 criou “Contigo”, com o coreógrafo Rui Horta a convite da SACD, no âmbito dos Sujets à Vif no Festival de Avignon. Em 2OO7 foi selecionado para o Festival Mondial du Cirque de Demain. Trabalha regularmente em Portugal, o seu país de origem, como intérprete e autor, e assinou o programa do Festival Internacional de Circo do Porto em 2O18. É também professor, videasta e encenador. É artista associado do Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo, Portugal).

NATHAN ISRAËL é malabarista e bailarino formado pelo CNAC. Em 2OO4 foi cofundador das companhias Le Cheptel Aleïkoum e La Scabreuse. Nesta última foi autor e intérprete de três espetáculos: “[TAÏTEUL]” (2OO6), “La mourre” (2OO9) e “Lard” (2O11). Foi também intérprete em diversas criações que combinam dança, circo e a relação com o objeto. Em 2O14 funda, com Luna Rousseau, a companhia Le Jardin des Délices: “L’homme de boue” (2O14), “Héros Fracas” (2O16), “Gadoue” (2O18) e “La Chose” (2O19). Em 2O16 recebe o prémio SACD de criação em malabarismo. Desde 2OO3 que realiza regularmente ateliers de dança, de malabarismo e de relação com objetos. Participa diversas vezes como jurado nas escolas superiores de circo ENACR (École Nationale des Arts du Cirque de Rosny-sous-Bois) e Académie Fratellini.

MARIE-ANNE MICHEL é formada pelo CNAC entre 1993 e 1998, criou, em 2OOO, a companhia Carpe Diem, onde desenvolve um trabalho em torno de tubos verticais, pesquisa o abandono e a fluidez do corpo, o lugar onde nasce o gesto, cada vez mais purificando o que não é necessário. Criou os solos “Sieste Verticale” em 2OO4, “L’Offrande” en 2O12 e “Métanoïa” em 2O13, e o dueto “Rivages” em 2O1O. Devido a uma lesão, suspendeu o seu trabalho até 2O19.

ELSA CAILLAT é acrobata de corda lisa, formada em 2OO7 pelo CNAC. Criou a companhia Toron Blues em 2OO8 com Clémentine Lamouret: “Tendre Suie” (2OO9), “Rouge” (2O11), “Sorcières” (2O16), “Chienne et Louve” (2O21). Em 2O14 e 2O17, encena com João Paulo Santos o espetáculo dos estudantes da ENACR. Desde 2OO8, que é formadora regular na Académie Fratellini.

TIAGO CERQUEIRA é engenheiro de som e compositor, trabalha principalmente em projetos portugueses e internacionais de performance ao vivo, cinema e arte contemporânea. Colabora há muitos anos com João Paulo Santos, de quem é o alter ego musical.

CIE. O ÚLTIMO MOMENTO é uma companhia circense franco-portuguesa, criada em 2OO4 por João Paulo Santos, artista circense português e por Guillaume Dutrieux, músico francês. Ambos se conheceram no Cheptel Aleïkoum, um coletivo artístico oriundo da décima quinta promoção do Centre National des Arts du Cirque. Com sede em França, a companhia viaja por toda a Europa, mas estende as suas fronteiras ao resto do mundo, da Ásia à América do Norte e do Sul e a África. O Último Momento oferece espetáculos essencialmente focados na disciplina do mastro chinês, especialidade de João Paulo Santos, mas também está aberta a outras áreas artísticas, como a dança e o vídeo. Desde os seus primórdios na companhia O Último Momento que João Paulo Santos, de nacionalidade portuguesa, mantém uma forte ligação com o seu país natal. Considerado um precursor no campo do circo contemporâneo, a sua experiência e formação, maioritariamente adquirida em França, permitiram às estruturas portuguesas promover uma arte e uma disciplina relativamente desconhecida neste país.

©Fotografia PHILIPPE LAURENÇON

NOVO CIRCO | EM FAMÍLIA

2O22 | SET 24

SÁB – 17H3O

AUDITÓRIO

1O€ | DESCONTOS APLICÁVEIS

35 MINUTOS

M/O8

PARTILHAR