DISSOLUÇÃO

DISSOLUÇÃO

Bruna Carvalho

Dissolução” é um solo de dança que se debruça sobre a nossa relação com a natureza, partindo da nossa própria essência, daquilo que nos é inato e natural enquanto seres vivos.

Através dos sentidos e do ato de intuir, procura captar algo além daquilo que nos é percetível a olho nu, algo mais profundo da nossa presença, da nossa relação com o meio e com todas as formas de vida, para nos falar de um universo transversal, de uma energia perene e coletiva, que a cada momento se dissolve para encontrar novas formas de expressão.

Sei o que é hoje peso de ar, vazio segredo, que dói sozinho.

Sei do escuro que habita as dores, que as atenua, de cegas que ficam.

Ralas de luz parecem menores, ou já não ligo.

Tenho um espaço cheio de oco, sereno e lento, no lugar das vísceras.

Hoje sei o que é ser transparente, o que é ter os nadas ocupando o regaço.

Lembro nas paredes as voltas que dei, os mundos que virei nos lábios.

Doces sabores que provei, desenhos a lápis que apaguei, de ida e de volta.

E temo, novamente. Pensava que não voltaria.

Sinto crescendo uma rebaldaria. Ameaça. Que suspira e me abraça, me embaraça.

E procuro dissolver-me, informe, no caminho do paraíso.

[Bruna Carvalho]

Criação, Interpretação e Música BRUNA CARVALHO
Desenho de Luz ZECA IGLÉSIAS E BRUNA CARVALHO
Direção Técnica ZECA IGLÉSIAS
Figurinos NUNO BRAZ DE OLIVEIRA
Produção BRUNA CARVALHO E HUGO BARROS
Comunicação BRUNA CARVALHO
Assessoria de Imprensa LEVINA VALENTIM
Financiamento e Parceria Institucional REPÚBLICA PORTUGUESA – CULTURA I DGARTES/DIREÇÃO-GERAL DAS ARTES
Coprodução TEATRO DO NOROESTE – CENTRO DRAMÁTICO DE VIANA E MUNICÍPIO DA MOITA
Apoios FORUM DANÇA, CENTRO DE EXPERIMENTAÇÃO ARTÍSTICA DA MOITA, O ESPAÇO DO TEMPO, CAB – CENTRO COREOGRÁFICO DE LISBOA E DEVIR/CAPA, CENTRO CULTURAL DA MALAPOSTA, MINUTOS REDONDOS, CÂMARA MUNICIPAL DE ODIVELAS, INESTÉTICA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE NOVAS IDEIAS

Dissolução” é um solo de Dança que se debruça sobre a relação entre o ser humano e a natureza. Parte da nossa existência comum e partilhada, inseparável e indivisível do meio que habitamos, para criar pontes entre elementos constituintes de uma mesma esfera, feita tanto do macro como do micro, do universo e da célula, provenientes da mesma matéria orgânica, da mesma energia primordial, perene e coletiva.

Nesta peça trabalha-se esta relação intrínseca através dos sentidos e do ato de intuir. Através de uma pesquisa sobre formas ancestrais de estar e fazer, canalizada para a reverberação e para a energia dos movimentos, do som e da luz.

Dissolução” pretende criar espaço para a leitura daquilo que está para além da nossa perceção a olho nu. Procura intercetar algo mais, algo da intuição, que parece estar na essência daquilo que nos relaciona e que nos interliga enquanto seres humanos, assim como a todos os outros seres vivos do nosso Planeta.

BRUNA CARVALHO estudou música na Escola Luiz Villas-Boas do Hot Club de Portugal, frequentou o Programa Avançado de Criação em Artes Performativas e o Curso de Gestão e Produção das Artes do Espetáculo, ambos do Forum Dança. Desenvolve projetos interdisciplinares que cruzam as áreas da dança, performance, música e composição de bandas sonoras, escrita, imagem e banda desenhada. Assina e circula com as performances “Mais Vale Um a Voar” (2O16) “E.le.men.to”, (2O17), “Gesto Perante os Desacatos do Mundo” (2O18), “Torta Lenta Partida Suspensa” (2O19), “Taranta” (2O2O), “Penumbra” (2O2O) e “Nunca Mais Um Outro Agora” (2O21). Trabalha também como intérprete e cocriadora em projetos de outros criadores. Faz ainda trabalho de produção e dirigiu o evento “Traços do Mundo nas Superfícies Humanas” no Museu do Traje – Parque Botânico do Monteiro-Mor em colaboração com outros profissionais da área artística.

ZECA IGLÉSIAS estudou música e baixo elétrico na Escola de Jazz Luíz Vilas-Boas – Hot Club de Portugal e estagiou como técnico e desenhador de iluminação no Teatro Nacional de São João. Músico, desenhador de luz e diretor técnico, tem trabalhado com diversos criadores e estruturas das artes performativas como Bruno Senune, Tânia Carvalho, André Mendes, Luís Guerra, Luiz Antunes, Sérgio Matias, Marta Cerqueira, Bruna Carvalho, Sofia Dias e Vítor Roriz, Joana Von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão, Pedro Ramos, Luís Marrafa, Carlos Antunes, Ana Sampaio e Maia, Cláudia Andrade, Parasita Associação, Elmano Sancho, Paulo Lage, Teatro Nacional 21, Ana Nave, Forum Dança Associação Cultural e O Rumo do Fumo.

NUNO BRAZ DE OLIVEIRA concluíu a sua formação em Teatro, com especialização em Design de Cena, na Escola Superior de Teatro e Cinema, em 2O17. Focou-se em design de figurinos, ingressando no MA Costume Design for Performance da London College of Fashion, cujo projeto final expôs no teatro Sadler’s Wells, em 2O18. Desde 2O19, de volta a Lisboa, fez assistência aos figurinos de José António Tenente. Colaborou ainda, enquanto figurinista, com a companhia Teatro Praga (2O19) e, mais regularmente, com a companhia Plataforma285 (desde 2O2O), além do design de figurinos para Ópera em encenações de Carlos Antunes (desde 2O2O). Em 2O2O ingressou no mestrado em Design de Moda na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa. Em 2O21 o seu trabalho de final de ano foi selecionado como representante daquela instituição no Concurso Internacional MODAPORTUGAL.


©Fotografia BRUNA CARVALHO

DANÇA

2O23 | JUN 17 e 18

SÁB – 2OH3O
DOM – 16H3O

AUDITÓRIO

12€ | DESCONTOS APLICÁVEIS

45 MINUTOS

M/O6

PARTILHAR