Apocalipse 2020

APOCALIPSE 2O2O

PERGUNTA EXÓTICA – Alice Joana Gonçalves

Apocalipse 2020 é uma performance multimédia que explora o espaço de forma fragmentada e coloca o corpo humano como mote da reflexão sobre a nossa existência no universo, e que visa interrogar o corpo enquanto matéria sob a qual existimos, e o ser humano como ser individual inserido num coletivo. Os seus imaginários replicam-se e conflituam numa narrativa abstracta que deambula entre concreto e imagens, memórias e projeções de nós mesmos, que coexistem numa realidade física e virtual.

Direção Artística: ALICE JOANA GONÇALVES
Autoria: ALICE JOANA GONÇALVES
Coreografia: ALICE JOANA GONÇALVES
Direção de Multimédia: LUÍS DE BARROS
Criação de Multimédia: A DEFINIR
Composição Musical: INÊS CARINCUR
Interpretação: A DEFINIR
Direção de Produção: INÊS LE GUÉ
Assistente de Produção: GONÇALO TAVARES
Produção: PERGUNTA EXÓTICA
Coprodução: CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO BRANCO / CINE-TEATRO AVENIDA
Apoio à Residência Artística: CENTRO CULTURAL MALAPOSTA, ESTÚDIOS VICTOR CÓRDON, FÁBRICA DA CRIATIVIDADE
Apoio Financeiro Institucional: DGARTES


OPEN CALL PERFORMERS, BAILARINAS / BAILARINOS
A artista Alice Joana Gonçalves lança um Open Call para Performers, Bailarinas/Bailarinos tendo em vista a integração de três intérpretes no elenco da sua nova criação intitulada Apocalipse 2O2O.

Perfil:
– Performers/bailarinas/bailarinos que estejam confortáveis com a nudez integral

Para apresentar candidatura, os interessados deverão apresentar 1 vídeo:
– um solo desenhado para a música de Alice Coltrane “SPRING ROUNDS FROM RITE SPRINGS”. Pedimos que seja dada especial atenção à criatividade, à plasticidade e à utilização do corpo como elemento que integra um contexto/paisagem (impressionismo).

Os candidatos deverão enviar por e-mail, para perguntaexotica@gmail.com:
– um link wetransfer para descarregar o vídeo
– nome completo
– nota biográfica
– contacto telefónico e e-mail

Data limite para candidaturas: 12 de janeiro de 2O21
Data de notificação de resultados: 13 de janeiro de 2021
Período de audição: 18 de janeiro de 2021, em horário a definir entre as 11h30 e as 19h, nos Estúdios Victor Córdon, em Lisboa.

Período de criação 2O21:
15 a 2O de fevereiro > CAL – Centro de Artes de Lisboa
22 a 26 de março > Estúdios Victor Córdon
27 a 28 de março, 3O de março a 1 de abril, 6 a 7 de abril > Centro Cultural Malaposta
1O a 13 de abril > Fábrica da Criatividade / Cine-Teatro Avenida

Apresentações 2O21-2O22:
8 de abril de 2O21 > pré-estreia > Centro Cultural Malaposta
14 de abril de 2O21 > estreia > Cine-Teatro Avenida
Maio de 2O21 > Teatro Gregório Mascarenhas
7 a 13 de fevereiro 2022 > Teatro da Garagem


ALICE JOANA GONÇALVES
Artista performativa e visual, que trabalha na inclusão do ser humano no meio ambiente/paisagem/arquitetura, executando performances em câmara lenta que envolvem uma profunda pesquisa filosófica da essência humana. O seu trabalho interroga principalmente aquilo que nos torna frágeis e vulneráveis, e a arte permite-lhe brincar com esses elementos. A sua primeira obra foi “Apocalipse”, em 2012, que ganhou o Prémio Português de Performance. No mesmo ano, ganhou o prémio Frame Research Festival com “Minus”, uma performance de vídeo. Em 2013, colaborou com Julião Sarmento, artista visual, na realização de “Five Easy Pieces” e “Notre Dame“. Em 2014, voltou a ganhar o Prémio Português de Performance, com “The Hunting”, e foi convidada pelo Arte Institut (NY) a interpretar a sua performance no Alvin Ailey American Dance Theater. Também apresentou “Adagio a Um Lobo” na Galeria Fernando Santos, no Porto. Em 2015, ganhou os Prémios Novos, para Artistas Emergentes, na categoria de Arte Visual. Apresentou também “La Chienne” na exposição da coleção privada de Julião Sarmento no Museu da Eletricidade de Lisboa, juntamente com as obras de Gerhard Richter, Bruce Nauman, Nan Goldin e Marina Abramovic. Em 2018, apresentou a sua nova criação “The Foxes” no Palácio do Sobralinho, em Vila Franca de Xira, no Teatro Ibérico, em Lisboa, e no Festival Malta em Poznan. A sua mais recente performance, “Temporary Palace”, criada em 2019, consiste numa colaboração com o Daddy G dos Massive Attack e estreou no MAAT, em Lisboa. O conjunto das suas obras foi recentemente apresentado em revistas como Arte Fórum, Vogue, entre outras, no programa da RTP 2 “Contentor 13”, e num documentário em três partes da RTP “Queen of the Horses”.


PERGUNTA EXÓTICA
É uma associação cultural criada em 2019. O seu foco é a arte performativa experimental, sendo a sua direção artística assegurada pela artista Alice Joana Gonçalves. A associação desenvolveu até agora dois projetos artísticos, o primeiro com o MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia), com a criação da performance “Palácio Temporário”, que contou com a colaboração do músico Daddy G, fundador dos Massive Attack; e o segundo projeto, “Queen of the Horses”, documentário em três episódios sobre o trabalho da artista Alice Joana Gonçalves, produzido pela RTP. O espetáculo “Apocalipse 2020” é o terceiro projeto produzido pela Pergunta Exótica.

* A imagem de capa foi capturada durante uma residência artística em 2011 no BalletTeatro (Porto), em que a artista Alice Joana Gonçalves, em colaboração com o artista visual de multimédia Márcio Paranho, explorou alguns conteúdos multimédia digitais com o corpo performático.

DANÇA

ABR O8

QUI – 17hOO e 21hOO

SALA EXPERIMENTAL

8€ [PREÇO ÚNICO]

60 MINUTOS

M/16

PARTILHAR