Por um Fio

POR UM FIO

Erva Daninha / Daniel Seabra

Dois intérpretes utilizam a acrobacia aérea como técnica para procurarem continuamente o equilíbrio entre dois corpos, usando uma corda solta com duas pontas a 7 metros de altura. Esta corda, este fio impermanente e inconstante, altera a perceção do espectador sobre os corpos em cena. Partimos desta corda que enforca a necessidade de algo mais do que uma simples conexão. Dependemos desta ligação, desta corda que nos suspende e que nos prende. Que nos amarra, mas nos segura. Qualquer ação desencadeia uma consequência no estado do outro, e é esta dependência que nos obriga a confiar no outro. Com este espetáculo, desenhado para espaço público, pretende-se repensar as potencialidades que podem surgir de algo tão simples, humano e volátil. O valor da confiança e a importância da nossa presença no momento presente através desta vertiginosa dança aérea entre dois corpos.
A que distância é possível estar junto, hoje?
O conceito de presente está em transformação, também como consequência de uma sociedade mais tecnológica, gerida por redes sociais. A forma como nos relacionamos, o aqui, o agora e a noção de real geram uma complexidade nas relações interpessoais. Os novos canais tornam a comunicação mais rápida, mas mais distante. Estamos em contacto, mas longe, uma proximidade superficial, menos real, menos presente. O que nos une em relação ao outro? Será que na nossa sociedade fragmentada e individualista é ainda possível criar espaços comuns? Toda a relação exige a existência do presente, mais do que isso, depende dele. Propomo-nos assim a rever a ideia associada à palavra “relação” pela sociedade atual. Falar sobre o presente, sobre a presença, sobre o momento em que nos encontramos e sobre como apenas ele tem total influência no momento que se segue. Relembrar os conceitos de correlação e codependência e do quanto precisamos uns dos outros para viver, voar, existir e ser. Relembrar o valor da confiança e da atenção ao presente.

Direção Artística DANIEL SEABRA
Cocriação e Interpretação DANIEL SEABRA E MARGARIDA MONTENŸ
Música Original MIGUEL DE
Produção Executiva TERESA CAMARINHA
Técnico Montagem e Operação LUÍS RIBEIRO
Residências TEATRO MUNICIPAL DO PORTO, SALTO
Direção Artística Erva Daninha JULIETA GUIMARÃES e VASCO GOMES
Produção ERVA DANINHA
Coprodução TEATRO MUNICIPAL DO PORTO
Apoio REPÚBLICA PORTUGUESA – CULTURA / DIREÇÃO GERAL DAS ARTES

Erva Daninha surge em 2006 e tem como missão a criação de circo contemporâneo, explorando o diálogo entre diferentes expressões das artes performativas. Sob a direção artística de Vasco Gomes na criação e Julieta Guimarães na programação, tem centrado o trabalho em novas formas de fazer e apresentar circo. “Por Um Fio” surge como uma experiência de abrir o espaço de criação da Companhia a um jovem autor. Daniel Seabra, formado pelo Chapitô e com várias experiências profissionais relevantes, tem desenvolvido vários espetáculos que vão de encontro à estética da Erva Daninha. Um cruzar de vontades e união de esforços para a renovação de tecidos e desenvolvimento do circo contemporâneo. Para além das suas criações a Companhia dedica-se também à programação com Trengo festival de circo do Porto e Mostra Estufa. A Erva Daninha tem o apoio da República Portuguesa – Cultura/Direção-Geral das Artes e é estrutura residente do Teatro Campo Alegre no âmbito do programa Teatro em Campo Aberto (Teatro Municipal do Porto/Câmara Municipal do Porto).

©Fotografia MIGUEL OLIVEIRA

CIRCO CONTEMPORÂNEO

2021 | MAI 08 e 09

SÁB – 21H00
DOM – 16H30

AUDITÓRIO

10€ | DESCONTOS APLICÁVEIS

35 MINUTOS

M/3

PARTILHAR